TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS

FESTAS DE LISBOA 2019 COMEÇAM JÁ NO DIA 1 DE JUNHO

As Festas de Lisboa 2019 arrancam sábado com um grandioso espetáculo de funambulismo.

É já este fim de semana que abrem oficialmente as Festas de Lisboa 2019 e este ano com uma subida literalmente aos ares com um grande espetáculo de funambulismo que irá fixar todos os olhares nos céus.

Linhas Voadoras é o nome do espetáculo de arte circense, baseado no exercício de equilibrismo sobre uma corda, que vai abrir as Festas no dia 1, sábado, a partir das 19h30.

Na Alameda D. Afonso Henriques, Tatiana-Mosio Bongonga, uma das poucas mulheres a atuar a esta altitude, irá percorrer uma corda bamba, a 33 metros do chão. O trajeto aéreo, em direção à Fonte Luminosa, será acompanhado por música interpretada ao vivo por músicos da Banda da Armada e elementos da companhia Basinga que a artista fundou em 2014.

Na primeira semana das Festas, há muito mais para ver, ouvir e desfrutar em Lisboa, ao ar livre e nos espaços culturais da EGEAC, através de propostas artísticas variadas e de entrada gratuita para todas as idades, não esquecendo os mais novos porque afinal, sábado, é o Dia Mundial da Criança.

Assim, outra paragem obrigatória durante o fim de semana será o teatro LU.CA – teatro para crianças e jovens – que celebra o seu primeiro aniversário com várias atividades livres.

Consulte aqui todo o programa das Festas de Lisboa 2019.

SAIBA TUDO SOBRE O NATAL EM LISBOA 2018

O Natal em Lisboa 2018 para além das tradicionais compras da época, tem um programa cultural definido pela EGEAC de escolha e decisão difícil, tal a variedade e qualidade dos espetáculos que se encontram agendados, todos de entrada gratuita. De 01 a 23 de dezembro, muita música com concertos gratuitos e outras atividades em diferentes palcos da cidade, desde a igrejas mais bonitas, às menos conhecidas, passando também por outros locais de culto que espelham a diversidade cultural da cidade.

A Coolture fez por isso uma sequência detalhada por temas para o ajudar, para que não perca o que mais lhe interessar deste programa.

PROGRAMA NATAL EM LISBOA 2018

ATELIÊS

01 – 22 Dez 2018D. Gilberto vai à caça – Museu de Lisboa – Santo António – 1 dezembro 11:30, 15 e 22 dezembro, 15:30. Saiba mais aqui.

o2 Dez 2018Há pinha! – Museu de Lisboa – Palácio Pimenta – 15:30. Saiba mais aqui.

15 – 16 Dez 2018Sessões de meditação – Cinema São Jorge (Sala 2) -11:00. Saiba mais aqui.

VISITAS GUIADAS

09 – 23 Dez 2018Viagens no Império – Museu de Lisboa – Teatro Romano, 11:30. Saiba mais aqui.

15 Dez 2018Visita Guiada ao Centro Ismaili, 14:00, 14:30 e 15:00. Saiba mais aqui.

CONVERSAS

21 Dez 2018Oriental X’MAS – Comunidade Hindu de Portugal, 19:00. Saiba mais aqui.

ÓPERA

08 – 09 Dez 2018Conta-me uma Ópera – Museu de Lisboa – Santo António, dia 8 (16:00) e dia 9 (12:00). Saiba mais aqui.

MÚSICA

07 Dez 2018Coro Infanto-Juvenil e Orquestra Académica da Universidade de Lisboa – Igreja de São Domingos, 21:30. Saiba mais aqui.

08 Dez 2018Coro Juvenil e Orquestra Juvenil de Cordas da AMAC – Igreja de São Domingos, 21:30. Saiba mais aqui.

09 Dez 2018Opus 28: Uma mesa de Natal – Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, 16:00. Saiba mais aqui.

09 Dez 2018Camerata Atlântica – Igreja de São Pedro de Alcântara, 16:00. Saiba mais aqui.

13 Dez 2018Filomúsica Ensemble – Igreja de Nossa Senhora do Amparo, 21:30. Saiba mais aqui.

14 Dez 2018Orquestra Orbis – Igreja de São Roque, 21:30. Saiba mais aqui.

15 Dez 2018Fados de Natal – Museu de Lisboa – Santo António, 16:30. Saiba mais aqui.

15 Dez 2018Begoña Olavide & Javier Sergia – Centro Ismaili de Lisboa, 16:00 e 21:30. Saiba mais aqui.

16 Dez 2018 – Orquestra Jovem de Cordas do Conservatório Nacional e ComPasso – Igreja Alto do Lumiar, 16:00. Saiba mais aqui.

19 Dez 2018Orquestra Clássica Metropolitana – Teatro São Luiz, 21:00. Saiba mais aqui.

20 Dez 2018Coro das Nações – Átrio de Chegadas Aeroporto Humberto Delgado, 19:00. Saiba mais aqui.

22 Dez 2018Gospel Collective – Igreja Nossa Senhora dos Navegantes, 21:30. Saiba mais aqui.

AINDA EM DEZEMBRO

02 -15 Dez 2018 – Em vários locais do Lumiar em Lisboa, Mercados de Natal, Cinema, Feiras, Serão Indiano, etc. Saiba mais aqui.

FESTIVAL ESTES ROMANOS ESTÃO LOUCOS COMEÇA HOJE

O Festival Estes Romanos Estão Loucos começa hoje, dia 14 até 16 de setembro. O Museu de Lisboa – Teatro Romano convida todos os lisboetas (e curiosos) a melhor conhecerem os seus antepassados olisiponenses. Com múltiplas atividades que se desenvolvem no sítio arqueológico do teatro romano, mas também no museu e nas ruas envolventes, este festival oferece uma nova perspetiva sobre a cidade e sobre a sua história.

Afinal os romanos eram mesmo loucos!

Clique aqui para conhecer a programação.

NotaEntrada livre sujeita à lotação. Algumas atividades requerem inscrição e levantamento de bilhete. Informações e reservas: 215 818 530 ou teatroromano@museudelisboa.pt 

LENA D’ÁGUA E A BANDA XITA NO JARDIM DA GALERIA QUADRUM EM ALVALADE

As Noites de Verão continuam no jardim da Galeria Quadrum em Alvalade todas as sextas-feiras do mês de julho, às 19h30. Depois do sucesso de Norberto Lobo com Ricardo Jacinto e Marco Franco, e depois de Equiknoxx, a música está de regresso ao jardim da Galeria desta vez com LENA D´ÁGUA E A BANDA XITA.
Noites de Verão é um programa de música ao vivo apresentado pela Filho Único em parceria com a EGEAC – Galerias Municipais, com concertos que decorrem em Julho no Jardim da Galeria Quadrum, em Alvalade e no mês de agosto no Jardim das Esculturas do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado.

Os concertos no Jardim da Galeria Quadrum decorrem nos dias 6, 13, 20 e 27 de julho, às 19h30, de entrada livre. Este programa de música ao vivo produzido e programado pela Filho Único é desenhado, em congruência com o objectivo e missão desta associação cultural sediada em Lisboa e com a identidade e vocação do Museu Nacional de Arte Contemporânea que o acolheu desde o primeiro dia, com o intuito de apresentar e divulgar propostas na área da música que trabalhem a partir de critérios construtivos de produção artística, que visem o desenvolvimento da arte e contenham em si um cariz de busca e de progressão estética.

Em Janeiro deste ano, na Galeria Zé dos Bois, acompanhados por músicos recrutados ao colectivo Xita Records, Primeira Dama e Lena d’Água revisitaram o cancioneiro um do outro, juntando aos clássicos da cantora o ainda fresco repertório de “Histórias por Contar” e “Primeira Dama”, discos editados pelo músico em 2016 e 2017.
Ícone da pop-rock portuguesa, Lena d’Água começou a cantar na década de 70, ficando pra história como a primeira mulher a integrar uma banda rock como vocalista, neste caso os progressivos Beatnicks. Enturmou-se e potenciou (n)o tecido criativo e editorial da música popular em expansão no dealbar dos 80 e afirmou-se como um dos corpos e almas do convencionado boom do rock português. Primeiro com os Salada de Frutas e depois a Banda Atlântida, antes de se aventurar a solo com exponencial sucesso, sempre apoiada pelo cúmplice criativo Luís Pedro Fonseca, até ao LP “Aguaceiro” de 1987, já composto com um leque de autores convidados. Acercou-se do círculo de músicos do Hot Club de Lisboa no final de uma década 90 difícil e anos depois grava repertório seu e não só com arranjos jazz em “Sempre” que sai com selo Blue Note em 2007. No ano passado viu o single em 12” vinil “Jardim Zoológico / Tao”, dois temas de 83 e 86 respectivamente, lançado pela neozelandesa Strangelove, para o circuito internacional das reedições de música de dança, que acolheu entusiasticamente as duas canções pop elegantemente exóticas.
Esta filha e irmã de dois heróis que marcaram a história do Benfica apresenta-se no coração do bairro de Alvalade com a Banda Xita, capitaneada por Primeira Dama (nas teclas e voz), e incluindo Inês Matos (na guitarra), António Queiroz (no baixo), João Raposo (nas teclas, voz e electrónica) e Martim Brito (na bateria).

Uma co-produção Filho Único, EGEAC Cultura em Lisboa, Galerias Municipais de Lisboa e MUSEU NACIONAL DE ARTE CONTEMPORÂNEA – MUSEU DO CHIADO

Entrada LIVRE

GALERIA MILLENNIUM APRESENTA EXPOSIÇÃO SALVEM A SARDINHA!

No dia 1 de junho, às 18h, a Galeria da Fundação Millennium bcp inaugura a Exposição Salvem a Sardinha!. Em pleno mês de manjericos, arraiais e bailaricos, as tradicionais sardinhas das Festas de Lisboa chegam também à Galeria Millennium (Rua Augusta, 96), numa exposição aberta ao público de 2 a 30 de junho. Não aquelas que pingam no pão, mas sim as que brilham no papel e que representam o imaginário de artistas de vários pontos do mundo.

Pelo oitavo ano consecutivo, o Concurso de Sardinhas das Festas de Lisboa – promovido pela EGEAC – lançou aos sete mares o desafio de preencher a popular silhueta deste peixe. A palavra de ordem “Salvem a Sardinha!” serviu de alerta para a preservação da nobre Sardina pilchardus, mas também de mote à criatividade.
Ao todo, foram recebidas 3726 propostas, enviadas por 1879 autores, de 63 países distintos. A exposição que abre esta sexta-feira na Galeria Millennium resulta precisamente desta diversidade, dando a conhecer aos lisboetas e visitantes da cidade uma seleção de 143 sardinhas, incluindo as vencedoras. As cinco obras premiadas foram escolhidas pelo júri composto por Bordalo II, Catarina Sobral, Joana Cruz e Jorge Silva. Através de uma votação online, ao público coube escolher mais cinco menções honrosas.

Além da exposição “Salvem a Sardinha!”, o último piso da Galeria Millennium será ainda palco de um ateliê de desenho para miúdos e graúdos, com os ilustradores Alberto Faria, Bernardo Carvalho, Catarina Sobral, Madalena Matoso, Maria Remédio, Nuno Saraiva e Susana Carvalhinhos. Este evento resulta de uma parceria
entre a Fundação Millennium bcp, a EGEAC e o Atelier Silva designers.

EXPOSIÇÃO | 2 A 30 DE JUNHO
GALERIA MILLENNIUM APRESENTA
“SALVEM A SARDINHA!”

EXPOSIÇÃO:
De 2ªf a sábado, 10h às 18h
Encerra ao domingo
Entrada gratuita

ATELIÊS DE DESENHO:
De 3f a 6f, 14h30 ; Sábado, 10h & 14h30
Inscrições: ateliersardinha@gmail.com
Entrada gratuita

Para mais informações:

armandoribeiro@oapartamento.com ou paulacosmepinto@oapartamento.com

ABRIL EM LISBOA | LIBERDADE PARA TOCAR – INTERVENÇÕES MUSICAIS ESPONTÂNEAS

No âmbito do programa ABRIL EM LISBOA, promovido pela CML e a EGEAC, durante cinco dias, cinco pianos estarão espalhados por vários jardins e praças da cidade, onde cada um é livre de tocar o que bem entender. O desafio é extensível a outros instrumentos que se queiram juntar. São várias as oportunidades para surpreender quem passa com intervenções musicais espontâneas, abertas à participação de todos. Numa cidade onde cada vez se misturam mais culturas e línguas, a música expande, enquanto linguagem universal, as possibilidades de comunicação imediata entre as pessoas. Os pianos estão na rua, e em cada um, com as suas 88 notas, há infinitas melodias para descobrir. Das 10h às 20h de 20 a 24 de Abril.

20 ABRIL

Estação de Santa Apolónia

Estação do Rossio

Estação do Cais do Sodré

Estação do Oriente

Estação de Entrecampos

21 ABRIL

Coreto Praça José Fontana

Coreto do Jardim da Estrela

Coreto do Largo da Graça

Coreto de Carnide

Coreto do Jardim da Parada

22 ABRIL

Jardim do Príncipe Real

Jardim Campo Grande

Jardim S. Pedro de Alcântara

Jardim Arco do Cego

Jardim Torel

23 ABRIL

Praça do Município

Praça do Rossio

Praça do Cais do Sodré

Largo do Carmo

Praça do Martim Moniz

24 ABRIL

Praça do Comércio

Consulte toda a programação ABRIL EM LISBOA aqui.

Marchas Populares desfilam hoje na Avenida da Liberdade

Hoje é o grande dia do desfile das Marchas Populares na Avenida da Liberdade. A partir das 21h00, um dos momentos altos das Festas de Lisboa e que estão na sua génese dão cor, alegria e animação à cosmopolita avenida alfacinha.

Hoje são uma tradição popular, embora tenham sido à data da sua criação, nos anos 30, uma ideia de agentes ligados ao Estado Novo. Os lisboetas apropriaram-se desta festa e tornaram-na uma tradição sua, já que só assim se explica o seu sucesso e a sua longevidade.

Dezenas e dezenas de pessoas (desde ensaiadores, figurinistas, costureiros, cavalinho e, claro, marchantes) trabalham afincadamente o ano inteiro para que o desfile da sua marcha seja absolutamente espetacular, num esforço coletivo e muitas vezes voluntário. Porque não há cansaço que resista à paixão pelo seu bairro.

No concurso de 2017, estão de volta as Marchas do Castelo e de Belém., mas também há representantes de fora de Lisboa e este ano a organização convidou um representante do Algarve (a Marcha da Rua da Cabine, da Quarteira), um de Leiria (a Marcha da Associação do Bairro dos Anjos) e outro de Viseu (Marcha da Associação Folclórica Cultural e Recreativa Verde Gaio de Lordosa).

Esperam-se como habitualmente milhares de pessoas ao longo da Avenida da Liberdade para assistir a uma disputa acesa pela obtenção do primeiro lugar neste desfile. 

Recomendamos que nas suas deslocações tenha em atenção as recomendações relativas aos condicionamentos de trânsito existentes nas zonas onde decorrem as Festas de Lisboa, designadamente as Marchas Populares na Avenida da Liberdade, e nos bairros onde os arraiais populares são festejados.

Para mais informações, consulte aqui o alinhamento das marchas e veja como aperitivo um vídeo das Marchas Populares no ano passado.

 

Festas de Lisboa’17 durante todo o mês de junho

As Festas de Lisboa realizam-se de forma oficial desde 1932. Contudo, só em 1934 a Câmara Municipal de Lisboa chamou a si a organização dos tradicionais festejos inspirados nos Santos Populares.

Preservando a tradição popular de Lisboa, com relevo para as Marchas, os Casamentos de Santo António, os Arraiais e o Fado, actualmente as Festas de Lisboa assumem-se também como um evento de referência nas expressões culturais mais contemporâneas. As Festas de Lisboa são hoje um espaço de inovação e renovação da cidade e, principalmente, de interacção entre distintos géneros artísticos e os seus públicos. O seu programa, diversificado e multicultural, já foi várias vezes premiado e distinguido, assinalando o seu papel na promoção turística da cidade de Lisboa e do país.

A EGEAC, com o desafio de pensar as Festas de Lisboa em 2017 no ano em que a cidade é Capital Ibero-americana da Cultura, procurou potenciar cruzamentos e descobertas mútuas, cujos efeitos se façam sentir para além do período delimitado no calendário. Europa, África e América: três continentes separados pelo oceano Atlântico, mas também unidos por ele.

Ao longo dos séculos, já foi temido e já foi amado, mas se há coisa que o Atlântico nunca deixou de ser foi uma presença incontornável na história e na identidade daqueles que são banhados pelas suas águas. Inspirados por esta ideia de travessia oceâ- nica, de aproximação de margens, de territó- rios e de culturas, propomos uma viagem para descobrir e redescobrir os rastos das vivências e imaginários comuns, onde a poesia das palavras ganha outros ritmos.

Atentos à diversidade do universo latino- -americano e das diásporas que residem em Lisboa, a EGEAC apresentou uma programação multidisciplinar e democrática, que potencia as novas centralidades da cidade.

As Festas de Lisboa são para toda a família e arrancaram no primeiro dia do mês de junho com um conjunto de iniciativas pensadas propositadamente para as crianças, em vários locais da cidade. No dia 3 de junho haverá um concerto único da Orquestra Gulbenkian junto ao Tejo, com convidados como Pablo Sáinz Villegas, um dos grandes guitarristas da atualidade, e onde serão revisitadas as obras de Villa-Lobos, Falla e Revueltas, entre outros compositores de referência.

Também o Fado no Castelo não escapa este ano aos ventos quentes vindos da América latina: juntam-se no Castelo de São Jorge grandes nomes do fado com artistas do flamenco, do tango, e do chorinho, em três noites que prometem ser memoráveis.

A não perder: o festival “Soy Loco por ti, América” que irá transformar os jardins do Palácio Pimenta, no Museu de Lisboa, num verdadeiro paraíso tropical. Ao longo de quatro dias, os visitantes são convidados desfrutar de literatura e música oriundos do Perú, Brasil, Cuba e Argentina, na companhia de artistas mundialmente reconhecidos, como é o caso de Susana Baca ou de Chico César.

As Festas de Lisboa não terminam sem antes fazerem do Terreiro do Paço um gigantesco salão de baile, ao melhor estilo latino.

O espetáculo Baila Comigo Lisboa junta os Gipsy Kings aos Los Van Van e desafia todos para um pezinho de dança, numa noite em que será impossível resistir aos ritmos ciganos e cubanos destas duas bandas míticas. As Festas de Lisboa são hoje um espaço de inovação e de renovação da cidade, de interação entre géneros artísticos distintos e os seus públicos, mas orgulhamo-nos também de manter (e, em alguns casos, de recuperar) as tradições definidoras do caráter da cidade, como é o caso das Marchas Populares, dos Casamentos de Santo António, dos Arraiais Populares ou dos Tronos de Santo António. Com mais ou menos “salero”, há Festas para todos os gostos. Em junho, libertem a agenda e venham  celebrar Lisboa.

Consulte o Programa completo (78 páginas) aqui.

Imagem de destaque: Ilustração de Nuno Saraiva

Criar Conta de Utilizador