TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS

ROTA DAS TAPAS 2019 – ESTRELLA DAMM EM BUSCA DOS SABORES MAIS SURPREENDENTES

A partir de hoje, 23 de Maio a Rota de Tapas volta a correr Portugal de norte a sul. Desta vez, além de Lisboa, Porto, Braga, Faro, Aveiro, Évora e Viseu, Caldas da Rainha e Castelo Branco, também estão presentes nesta rota gastronómica.

São 9 cidades, 18 dias e 201 tapas, que a Estrella Damm apresentou como desafio aos Chefs para confecionar uma tapa única e especial que convida a saborear o momento e explorar a cidade em busca dos sabores mais surpreendentes.

Clique em cada uma das cidades e fique a conhecer todos os restaurantes aderentes: Lisboa, Porto, Braga, Faro, Aveiro, Évora, Viseu, Castelo Branco e Caldas da Rainha, onde por 3€, Estrella Damm dá-te a conhecer um conjunto de tapas especialmente criadas para a ocasião.

Entre no desafio, experimente as várias combinações gastronómicas e habilite-se a ganhar uma viagem a Barcelona para duas pessoas durante 3 dias, para 2 pessoas mais um jantar no Tickets.

DIA ABERTO NA FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA COM ATIVIDADES PARA CRIANÇAS

A Fundação Eugénio de Almeida promove nos dias 27, 28 e 29 de setembro a sexta edição do Dia Aberto. Esta iniciativa representa um momento especial de partilha com a comunidade e convida a aprofundar o conhecimento sobre o projeto singular criado por Vasco Maria Eugénio de Almeida, há 55 anos, com a missão de promover o desenvolvimento de Évora e da região envolvente nos domínios cultural, educativo, social e espiritual.

Dentro do vasto programa desenhado para toda a família, destacam-se com especial interesse as seguintes atividades para crianças.

Dia 28/09, Sexta-feira

Nasredin e o seu burro

21h30 | Centro de Arte e Cultura

Para crianças a partir dos 4 anos, acompanhadas por adultos

Um viajante conta a história de Nasredin e o desaparecimento do seu burro. De repente, ele próprio se transforma  em Nasredin e inventa uma terrível história para desmascarar o culpado… Venha assistir em família a esta leitura

dramatizada do conto escrito por Odile Werlersse, baseado numa popular personagem do Médio Oriente.

Dia 29/09, Sábado

Caras pintadas nas Casas Pintadas 

Das 10h00 às 18h00 | Jardim das Casas Pintadas

As Casas Pintadas estão repletas de fábulas contadas pela veloz lebre, o irrequieto macaco, o pintalgado leopardo ou a sábia coruja. Vem pintar a tua cara com os traços de um destes animais e entra no seu mundo encantado!

Visita à exploração Agropecuária e Adega Cartuxa – Herdade de Pinheiros

10h00 e 14h30 | Herdade de Pinheiros | Duração: 1h30

Visita à principal unidade produtiva da Fundação Eugénio de Almeida, com passagem pelos núcleos de bovinos charoleses e alentejanos e equinos puro-sangue Lusitano. Depois convidamos a conhecer uma das nossas

vinhas e a Adega Cartuxa em produção.

Afinal, a coruja não era uma coruja!

11h00 | Jardim das Casas Pintadas | Duração: 45m

Visita conduzida pela Prof. Sónia Talhé Azambuja Nem tudo o que parece é… ou talvez seja! Bem, em que ficamos? É isso que vamos saber através desta visita guiada ao Jardim das Casas Pintadas que ajudará a perceber a simbologia dos animais e seres fantásticos aqui representados.

Faça o favor de pisar a relva!

Das 10h00 às 20h00 | Jardim do Paço de São Miguel

Neste Dia Aberto da Fundação não o vamos convidar a visitar o jardim do Paço de São Miguel, mas sim a fazer deste espaço o seu próprio jardim. Por isso, traga o pequeno-almoço, o piquenique ou o jantar e faça o favor de pisar a relva!

A fabulosa máquina de fazer parar o tempo

Das 14h00 às 20h00 | Páteo de São Miguel

Sessões de demonstração do funcionamento de uma câmara fotográfica artesanal à la minute, com a realização de um número limitado de retratos livres, entregues na hora!

Até vi estrelas…

Das 22h00 às 24h00 | Jardim do Páteo de São Miguel

Faz-se a observação da Lua ao telescópio e em particular procura-se a distinção entre vales e crateras e zonas escuras e claras, resultantes da história da formação do nosso satélite natural.

 

Mais informações:

Fundação Eugénio de Almeida

Páteo de S. Miguel | Apartado 2001 | 7001-901 ÉVORA
Tel.: 266 748 380 | Fax: 266 700 024

II EDIÇÃO DOS LIVROS À RUA EM ÉVORA

A II edição dos Livros à Rua evoca o maio de 1968 entre 25 de maio a 3 de junho. Livros, música e muita conversa enchem uma semana intensa em Évora entre 25 de maio e 03 de junho. Márcia, Benjamim, B Fachada, Peixe, e muitos outros, estão encarregues de embalar a segunda edição dos “Livros à Rua” que também vai dar que falar com José Mário Branco, Tiago Mota Saraiva, Ana Jara, Luís Mendes, Susana Mourão e António Guerreiro. É todo um programa.

O Largo da Sé, é ocupado assim por estes dias e nasce do trabalho conjunto entre os livreiros da cidade, Biblioteca Pública de Évora, autarquia e Associação “É Neste País”, com a colaboração de outras instituições culturais da cidade. Este festival de cultura no coração da cidade tem por tema base o Maio de 68, 50 anos passados sobre o movimento estudantil em Paris.
Para além dos concertos diários (ver cartaz), os “Livros à Rua”, são primordialmente espaço para a apresentação de livros, conferências, ateliers, contos, conversas e jogos.

O espírito do Maio de 68 estará presente ao longo de todo o certame.

De entre as muitas iniciativas destaca-se a conversa com José Mário Branco, que viveu o movimento em Paris na primeira pessoa ou o atelier de serigrafia em que os visitantes aprendem a fazer cartazes ao estilo e com a técnica da época. Destaque igualmente para a conferência em torno do livro de Henry Lefebvre “O Direito à Cidade”, com Tiago Mota Saraiva, Ana Jara, Luís Mendes, Susana Mourão e António Guerreiro: “A gentrificação tornou-se madura e afigura-se com contornos mais agressivos, o que implica desalojamento dos mais pobres e uma perspectiva da habitação esvaziada da noção de direito, para ganhar o estatuto de mero activo financeiro para atração de investimento estrangeiro”, refere Luís Mendes.

FESTIVAL EVORA AFRICA REÚNE ARTISTAS, MÚSICOS E PERFORMERS AFRICANOS

De 25 de maio a 25 de agosto de 2018, o Palácio de Cadaval, em Évora, acolherá a 1ª Edição do Festival Evora Africa, uma celebração da cultura e arte africanas com um diversificado programa de exposições, concertos, performances, conferências e DJs. O principal objetivo do festival é, ao longo dos 3 meses de duração, fortalecer os laços culturais e históricos, promovendo o intercâmbio entre África e a Europa, celebrar novas expressões artísticas urbanas e as suas influências sobre a cultura portuguesa. A escolha da data de inauguração, 25 de maio, que coincide com o Dia de África pretende ser mais um momento simbólico para comemorar as ligações históricas entre Portugal e Continente Africano.

O Evora Africa será uma grande festa da cultura africana onde mais de 30 artistas contemporâneos, músicos e performers do continente africano se reunirão para dar a conhecer a sua cultura e património artístico. É cofinanciado no âmbito do Portugal 20/20, pelo programa operacional Alentejo 20/20 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), o festival receberá artistas de vários países, nomeadamente a República Democrática do Congo, Costa do Marfim, Madagáscar, Mali, Moçambique, Senegal, África do Sul, Burkina Faso, entre outros. A exposição de arte contemporânea “African Passions” com curadoria de André Magnin, a primeira que realiza em Portugal, e Philippe Boutté, estará patente no Palácio de Cadaval ao longo do festival e será acompanhada por um vasto programa de música e concertos dirigidos por Alain Weber e Alcides Nascimento. Haverá ainda lugar para um programa educacional do qual farão parte workshops de música e dança, palestras e conferências com foco na arte, cultura e herança africanas.

A exposição “African Passions” vai contar com alguns dos maiores representantes da arte africana contemporânea que apresentarão a sua própria cultura, estilo, técnicas criativas e maneira de olhar o mundo, entre os quais se encontram Steve Bandoma, Filipe Branquinho, Frédéric Bruly Bouabré, Omar Victor Diop, Phumzile Khanyile, Klèmèguè, Houston Maludi, JP Mika, Marcel Miracle, Ambroise Ngayimoko, Mauro Pinto, Chéri Samba, Amadou Sanogo, Esther Mahlangu, Malick Sidibé, Billie Zangewa e Romuald Hazoumè.

O curador da exposição, André Magnin, acérrimo defensor e pioneiro na expansão da arte africana, realizou amplas pesquisas e foi curador de exposições sobre arte e artistas africanos um pouco por todo o mundo. Entre estes conta-se o icónico fotógrafo Maliano Malick Sidibé. Algumas das exposições nas quais Magnin e
Sidibé colaboraram incluem a exposição “Beauté Congo” e mais recentemente a “Mali Twist” ambas na Fundação Cartier em Paris; Photofesta em Maputo e o Museu Hara em Tóquio. Algumas das peças de Sibidé farão parte da exposição “African Passions” no Evora Africa. Magnin apresenta um vasto currículo internacional tendo sido responsável por exposições em locais tão emblemáticos como o Centro Pompidou, o Centro de Artes DIA em Nova York, o Museu Guggenheim em Bilbao, a Tate Modern e o Smithsonian. Foi ainda Diretor Artístico e Curador da Coleção Pigozzi em Genebra a assessor da Art/Afrique, Le nouvel Atelier na Fundação Louis Vuitton Foundation em Paris.

André Magnin, acredita que “África tem uma originalidade que nasce das suas diferenças. A criatividade e a força artística do continente vem da liberdade que os seus artistas concederam a si mesmos.” O programa musical, uma vasta seleção de concertos, com direção artística de Alain Weber, apresentará as principais famílias de instrumentos africanos, incluindo os koras, santas, balafons, flautas e percussão e mostrará a sua capacidade de invenção, sofisticação e variedades sonoras. Segundo Alain Weber afirma: “É através da música que África se revela e nos transporta, de forma festiva, para o que é essencial na vida”, e desta forma, o programa de música representará, tal como a exposição “African Passions”, uma jornada entre a tradição e a herança africana, entre a continuidade e a mudança, decorrerá não só no Palácio de
Cadaval, mas também em locais simbólicos como o Templo Romano de Diana, o Cromeleque dos Almendres e a Biblioteca Pública de Évora.

Nesta primeira edição, os artistas presentes são: Orquestra Ballaké Sissoko, Costa Neto, Irmãos Makossa, Rita Só, Johnny Cooltrane, Mbye Ebrime, DJ Rycardo, Companhia Xindiro e os jovens dançarinos, Celeste Mariposa, Bambaram, Bassekou Kouyate, Selma Uamusse, Bubacar Djabaté, Áfrika Aki, The Zaouli de
Manfla, Miroca Paris, DJ Ibaaku, Sara Tavares, Congo Stars de Vibration, Dj Lucky, Bubacar Djabaté, Lady G Brown.

O festival contará ainda com palestras e conferências, atividades educacionais e arte pública focada na música, cultura e património africano. Esther Mahlanghu produzirá, num período de cinco semanas, especialmente para o festival, um mural de comemoração da herança africana, que se tornará num dos destaques do Evora Africa. The Masks of the Moon, trarão até nós os rituais típicos do Burkina Faso. A Orquestra Ballaké Sissoko estará em Évora na semana de abertura do festival para ensinar a kora. A
Companhia Xindiro dará aulas de dança e música em julho. Esta Companhia, que oferece apoio educacional complementar a crianças desfavorecidas de Moçambique, já ensinou mais de 900 crianças e apresentará alguns dos seus projetos durante o Evora Africa.

Ao longo de mais de 8 anos, o Palácio Cadaval foi a casa do Festival “Os Orientais” dedicado à arte e à música do Oriente onde se assistiram a celebrações culturais do Oriente, Marrocos e Índia. Este ano, com o festival Evora Africa, o Palácio volta a abrir as suas portas, agora para celebrar a cultura africana.

O Palácio de Cadaval já organizou também uma série de outros eventos culturais como o Festival Évora Clássica e o Festival de Música Sagrada de Évora. O Palácio de Cadaval recebe frequentemente coros nacionais e internacionais, para apresentações abertas ao público, bem como solistas e grupos de música e exposições internacionais de pintura, escultura, fotografia e exposições de moda.

Propriedade familiar dos Duques de Cadaval desde a sua fundação no século 14 até hoje, o Palácio foi construído sobre as ruínas de um castelo mourisco e sujeito a muitas mudanças ao longo dos séculos, o que lhe conferiu uma combinação única de estilos; especialmente na sua igreja, única em Portugal, onde se reúnem os estilos Mudéjar, Gótico e Manuelino e nas duas torres do palácio com forte inspiração Medieval.

Alexandra de Cadaval, Directora do Festival, sintetiza a razão de ser do Evora Africa: “Tenho uma verdadeira paixão por África e pelas suas diferentes formas de expressão artística. Ao longo de muitos anos tive oportunidade de conhecer de perto a cultura africana e é para mim um enorme privilégio poder contribuir para a organização deste festival para dar a conhecer alguns destes incríveis artistas. Convido desde já todos os portugueses a deslocarem-se a Évora para conhecerem mais a fundo a magnífica cultura africana através de um vasto programa de arte, música, palestras, conferências e atividades educacionais”. 

“Lucifer” novo álbum dos lisboetas The Poppers

Peyote é o nome do segundo tema de avanço para Lucifer, o novo longa duração da banda lisboeta The Poppers, lançado digitalmente na passada semana. O disco chegará às lojas no final deste mês, tendo concerto de apresentação marcado para 28 de janeiro, no Musicbox em Lisboa.

O percurso para este novo trabalho Lucifer, terceiro e novo álbum dos lisboetas Poppers, não foi fácil. Poderia dizer-se que o disco que agora chega às lojas, com o selo da BLITZ Records, nasceu de um outro, gravado em Londres em 2013, no entanto as canções que o grupo agora apresenta são completamente distintas para muito melhor, tendo as anteriores sido descartadas.

Com a produção a cargo de Paulo Furtado, o disco foi misturado por Guilherme Gonçalves e Masterizado por Nelson Carvalho. Conta ainda com a participação de Filipe Costa (Teclados), Paulo Furtado (Baixo) e Ian Ottaway (texto e voz no tema Modern Wasteland).

 Lucifer será editado com o selo Discos Tigre e Blitz Records, e distribuição Sony Music. O artwork, é da responsabilidade de Tó Trips e tem por base uma fotografia de Kid Richards.

OUÇAM “LUCIFER”

DESCARREGUEM “PEYOTE” EM WAV

Apple Music (em breve)

Google Play (em breve)

lucifer
“Lucifer”, dos Poppers

 

PRIMEIRAS DATAS DE APRESENTAÇÃO:

SÁBADO . 28 JANEIRO . MUSICBOX . LISBOA . 23H30 (BILHETES + INFO AQUI)
SEXTA . 3 FEVEREIRO . CAE . PORTALEGRE . 23H00
SÁBADO 4 FEVEREIRO . SOCIEDADE HARMONIA EBORENSE . ÉVORA . 23H00

 

Fonte: Sara Cunha – sara@miramira.net

Foto de destaque: © Rita Carmo

Criar Conta de Utilizador