TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS

FESTIVAL DOS QUARTETOS DE CORDAS | GULBENKIAN

De 27 a 29 de janeiro a Gulbenkian Música apresenta, em parceria com a Biennale de Quators à Cordes de la Philharmonie de Paris, o Festival dos Quartetos de Cordas, uma iniciativa que pretende dar a conhecer ao público seis dos mais inventivos e jovens quartetos de cordas da atualidade: David Oistrakh String Quartet, Jack Quartet, Artemis Quartett, Quator Arod, Elias String Quartet e Chiaroscuro Quartet.

Adotando o formato tradicional dos quartetos de cordas – com dois violinos, uma viola e um violoncelo – os seis quartetos de cordas selecionados para o festival apresentam uma diversidade de propostas musicais, atravessando os vários séculos de reportório da música erudita. De Bach, Beethoven e Mozart a Xenakis e Haas, os quartetos de cordas apresentados neste festival dão a possibilidade de descobrir obras contemporâneas e revisitar peças obrigatórias do reportório de câmara.

Um dos momentos mais altos do festival será o concerto do JACK Quartet no sábado, 27 de janeiro, às 18h, no Grande Auditório. Neste concerto será interpretada, em estreia absoluta, a peça Quarteto para Cordas nº1, encomendada pela Fundação Calouste Gulbenkian à compositora Andreia Pinto Correia. A esta peça segue-se a interpretação de Tetras, de Iannis Xenakis, que é também uma encomenda da Fundação Calouste Gulbenkian (1983). Por fim, o concerto termina em plena escuridão durante a peça Quarteto para Cordas nº9, de Georg Friedrich Haas, especialmente concebida para ser interpretada nesse ambiente.

David Oistrakh String Quartet dá-nos a conhecer quatro dos mais reconhecidos músicos russos da atualidade, entre os quais o violinista Andrey Baranov, vencedor do Concurso Internacional de Violino Queen Elisabeth em 2012, exatamente 75 anos depois de David Oistrakh ter conseguido o mesmo feito.

Já Artemis Quartett e Chiaroscuro Quartet, dois quartetos conhecidos do público da Gulbenkian Música desde 2016, distinguem-se por razões distintas. O Artemis Quartett destacou-se desde cedo pelas suas interpretações das obras de Beethoven o que levou a que, em 2004, o quarteto começasse a programar a sua própria série de apresentações na Filarmonia de Berlim, tendo sido também a formação residente da Konzerthaus, em Viena, durante o ano de 2011. O Chiaroscuro Quartet tornou-se numa referência para a música de câmara não só por ter recebido em 2015 o Prémio da Crítica de Discos da Alemanha, como por ser um quarteto que tenta recriar o ambiente em que as peças foram originalmente ouvidas, com os instrumentos da época, e por fim por contar, entre os seus instrumentistas, com a aclamada violinista Alina Ibragimova.

Quatuor Arod, o multipremiado e jovem quarteto fundado na Bélgica em 2013, vem interpretar, entre outras, o Quarteto para cordas nº1, criado em 2017 por um dos mais jovens e reconhecidos compositores franceses contemporâneos, Benjamin Attahir.

Por fim o Elias String Quartet, reconhecido pelas suas enérgicas a vibrantes atuações e pelo projeto Beethoven – concertos gravados ao vivo da obra integral de quartetos de cordas de Beethoven – que concluiu em 2015, destaca-se também por contar, há 11 anos, com a mesma formação, constituída por duas irmãs franco-catalãs, um sueco e um escocês.

Foi criado um passe especial para os seis recitais, no valor de 40 €.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on print

Criar Conta de Utilizador