TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS
Os Solistas da Metropolitana, propõem uma curiosa combinação entre flauta e piano, que ressalta as diferenças entre os dois instrumentos, mas que resulta numa complementaridade vibrante, com “Fata Morgana”, o recital que o Museu do Oriente apresenta no dia 15 de Fevereiro, às 16.00. A entrada é gratuita.

SOLISTAS DA METROPOLITANA APRESENTAM “FATA MORGANA” NO MUSEU DO ORIENTE

Os Solistas da Metropolitana, propõem uma curiosa combinação entre flauta e piano, que ressalta as diferenças entre os dois instrumentos, mas que resulta numa complementaridade vibrante, com “Fata Morgana”, o recital que o Museu do Oriente apresenta no dia 15 de Fevereiro, às 16.00. A entrada é gratuita.

Através de quatro obras de diferentes esferas do universo musical, a ancestralidade da flauta acomoda-se com naturalidade na sofisticação técnica do piano. Por seu turno, o piano resplandece num leque de possibilidades, que se estende desde o intimismo difuso ao aparato sinfónico. Diante da imponência visual e sonora deste, a sua aparente fragilidade transfigura-se em deslumbramento lírico, seja frugal ou acerbado, na virtuosa destreza de movimentos ágeis e rebuscados ou em registos soturnos arrebatadores.

As primeiras duas peças são trabalhos assinados recentemente, por dois compositores consagrados no panorama musical português. Amílcar Vasques Dias inspirou-se no efeito de miragem que por vezes se vislumbra no horizonte e que se conhece pelo nome “Fata Morgana”. A obra foi estreada nos Encontros Nova Música, realizados em fevereiro de 2017, em Vila do Conde. Três meses mais tarde, Sérgio Azevedo fez estrear a sua “Suite Inutile”, no âmbito da Semana da Composição promovida pela Escola Superior de Música de Lisboa, que agora é apresentada, em estreia, numa versão revista.

Recua-se depois até aos anos 1940, e em particular ao contexto dos exames finais do Conservatório de Paris, onde sempre se exigia aos estudantes que comprovassem as suas aptidões através da interpretação de uma criação contemporânea com elevado nível de dificuldade técnica e expressiva para o seu instrumento: são as célebres ‘Pièces de Concours’. Foi para esse propósito específico que os franceses Henri Dutilleux e Pierre Sancan compuseram as duas Sonatinas que completam este programa.

A entrada é gratuita, mediante levantamento de bilhete no próprio dia.

Programa:

Fata Morgana | Amílcar Vasques Dias (2)

Suite Inutile (estreia da versão revista) | Sérgio Azevedo (1)

Sonatina para Flauta e Piano | Henri Dutilleux (2)

Sonatina para Flauta e Piano | Pierre Sancan  (1)

Nuno Inácio [flauta (1)] | Janete Santos [flauta (2)] | Alexei Eremine [piano]

 

“Fata Morgana” – Solistas da Metropolitana

15 de Fevereiro, sábado

16.00

Duração: 75’

M/6 anos

Entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete no próprio dia
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on print

Criar Conta de Utilizador