TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS

MAAT COM ENTRADA GRATUITA NO PRIMEIRO DOMINGO DE CADA MÊS

Os primeiros domingos de cada mês têm sempre entrada gratuita no MAAT e na Central Tejo, no dia 5 de Agosto, entre as 11h e as 19h, e desta vez pode visitar sete exposições.

 

  • O núcleo Cabrita Reis na Coleção de Arte Fundação EDP, de Pedro Cabrita Reis A primeira grande exposição sobre a Coleção Pedro Cabrita Reis, adquirida pela Fundação EDP em 2015, pode ser vista nas galerias 1 e 2 da Central Tejo. Foca-se numa ampla e sólida representação da chamada ‘geração de 90’, com presença de mais de 30. Debruça-se sobre momentos iniciais das carreiras de artistas nacionais cujos percursos têm vindo a afirmar-se.

 

  • Eco-Visionários: Arte, Arquitetura após o Antropoceno, Vários Artistas Mais de 35 artistas propõem visões críticas e criativas face às transformações ambientais que afetam o planeta. Eco-Visionários lança o debate sobre um vasto panorama de questões associadas ao Antropoceno – a designação recente de um novo período geológico definido pelo impacto das ações humanas. Pode ser vista na Galeria Principal e Vídeo Room do MAAT.
  • Um Imaginário Termodinâmico de Tomás Saraceno – Na Galeria Oval do MAAT, o artista argentino Tomás Saraceno expõe esculturas que, desafiando a gravidade, flutuam no ar por via da incidência solar, abdicando de hélio ou combustível. Uma exposição que faz parte do projeto de investigação intitulado Aeroceno – designação de um tempo em que a raça humana poderá vir a habitar estas estruturas aéreas. Uma visão futurística de novas interações dos seres humanos com a atmosfera do planeta.
  • Derramamento Linguístico na Sala das Caldeiras de Gary Hill – Um trabalho concebido pelo artista norte-americano Gary Hill, especificamente para a Sala das Caldeiras, da Central Tejo. Nesta obra, Hill retoma a investigação que iniciou no final dos anos 1970 com a peça Electronic Linguistics, que deu origem a uma série de trabalhos que têm como ponto de partida a relação entre som, linguagem e imagem eletrónica.
  • Vida e trabalho: não como antes mas de novo, de Susana Mendes Silva – Exposição de cariz documental da artista Susana Mendes Silva, patente no Cinzeiro 8, da Central Tejo. Para além de acompanhar e dar a conhecer a produção da artista das últimas duas décadas, a exposição foca-se em dois aspetos: o registo e documentação das performances e a recriação de performances e criação de novos trabalhos.
  • Pan African Unity Mural, de Ângela Ferreira – O trabalho da artista Ângela Ferreira para o Project Room do MAAT é concebido para o ‘aqui’ e o ‘agora’. Além da sua própria trajetória, outras histórias biográficas são narradas, expostas e escondidas neste trabalho. Em tempo de crise da crítica a artista renegoceia “velhas histórias”, incluindo as suas próprias, à luz da necessidade urgente de novas perguntas e respostas.
  • Exposição permanente: Circuito Central Elétrica Exemplar único do património histórico, industrial e arquitetónico da primeira metade do século XX, a Central Tejo está classificada como imóvel de interesse público e encontra-se totalmente conservado. A exposição conta a história da eletricidade, evoca o funcionamento e o ambiente de trabalho da antiga fábrica e percorre a evolução da eletricidade até às energias renováveis.

 

Para mais informações clique aqui

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on print

Criar Conta de Utilizador