TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS

Que pena, este evento já terminou! :(

PORTO LEGENDS-UNDERGROUND EXPERIENCE | FEV. A ABRIL

PORTO LEGENDS-UNDERGROUND EXPERIENCE | FEV. A ABRIL

Teatro & Arte

Data
26/02/2020 até 30/04/2020
10:00, 11:00, 12:00, 13:00, 14:00, 15:00, 16:00, 17:00, 18:00 | Terça a Domingo
Local

Alfândega do Porto, Porto

Classificação Etária
Todas as Idades
PUB

Descrição do Evento

PORTO LEGENDS-UNDERGROUND EXPERIENCE – “Porto Legends, the Underground Experience” é um espetáculo virtual imersivo que tem como como objectivo enaltecer a cultura e história da cidade Invicta.

A arquitetura mágica das Furnas da Alfândega do Porto e a investigação do notável historiador Joel Cleto, foram a sinergia perfeita para que o atelier OCUBO criasse uma dramaturgia cheia de mistério, entre a realidade e a magia.
Com direção artística de Nuno Maya, o espetáculo é narrado pelas vozes de Pedro Abrunhosa, grande autor português, e Jeremy Irons, ator galardoado com o Oscar Academy para “Melhor Actor”.
Os mistérios que serão apresentados, são parte importante da história da cidade do Porto, que através de atores, animações gráficas, músicas e a voz dos narradores, as paredes das Furnas da Alfândega ganham vida e contam ao público a sua história.
Trata-se de uma experiência audiovisual única a nível nacional pelo seu caráter de imersividade total., que tem como objectivo de tornar-se um ícone cultural imperdível não só para todos os portuenses, como para quem visita a cidade.

PORTO LEGENDS-UNDERGROUND EXPERIENCE

Séc. XXI

O Tesouro da Serra do Pilar – Durante o século XVII, sob a força da influência Espanhola, o mosteiro da Nossa Senhora do Pilar, deu nome à Serra do Pilar, uma das mais bonitas e icónicas vistas do centro histórico da cidade do Porto. Segundo a lenda, durante o Cerco do Porto 1832, os monges que habitavam o mosteiro enterraram um tesouro de jóias e ofertas na Serra do Pilar.​

Durante Séculos, este lendário tesouro esteve perdido, mas agora é revelado e mostra como as lendas e histórias fazem parte da identidade única da cidade.

Séc. XIX – 1910

O Fantasma da Última Freira – No século XIX, precisavam de fazer chegar a linha do comboio ao centro da cidade do Porto. Mas para isso, era necessário demolir o Mosteiro de São bento para ser construída uma grande estação ferroviária. Porém, as freiras tinham o direito de permanecerem nos seus mosteiros enquanto fossem vivas. Apesar de toda a pressão dos populares da cidade, só apenas 58 anos depois é que a última freira morreu, e a inauguração da nova estação aconteceu apenas 24 anos depois da sua morte.​

Reza a lenda, que na estação de São Bento, pode ouvir-se o fantasma da velha freira. Será choro pela destruição do mosteiro? Ou será riso pelos atraso que provocou?​

Séc. XIX – 1861

Barão Forrester – Barão Forrester, grande conhecedor do vale do Douro, do seu vinho e senhor de grande riqueza, desenhava mapas da região e das perigosas gargantas do Rio Douro. Em 1861, enquanto descia o rio com os produtores locais seus amigos, o barco onde seguiam naufragou numa perigosa garganta, que ele tinha antes identificado nos seus mapas.

Foi o peso do seu ouro que carregava que arrastou o Barão para o fundo sem nunca mais voltar ? Ou terá sido o rio que não quis devolver quem tanto o amou?

Séc. XIX – 1859

Zé do Telhado – Em meados do século XIX, após a guerra civil, alguns veteranos militares usavam as suas armas para roubar. O mais famoso foi Zé do Telhado que, segundo a lenda, assaltou a Casa de Ramalde nas portas do Porto. Segundo conta a lenda, Zé partilhava tudo o que roubava com quem mais necessitava. Em 1859 foi preso, e na prisão ficou amigo do romancista Camilo Castelo Branco, que o popularizou como o “Robin dos Bosques” português. Zé do Telhado foi desterrado para Angola, onde se tornou muito popular junto dos locais.

A sua história é ainda hoje lembrada

Séc. XIX – 1832

O Cerco do Porto e o seu Dragão – Em 1826 Pedro IV, rei de Portugal e primeiro imperador do Brasil, abdicou da coroa portuguesa a favor da sua filha Dona Maria. Sendo ela ainda criança, a regência do reino ficou entregue a Dom Miguel, irmão de Dom Pedro. Miguel acabou por usurpar o trono e começou uma guerra civil. Em 1832, Dom Pedro desembarcou com 7500 homens próximo do Porto, para afrontar o irmão. Foi bem acolhido pela cidade, mas esta ficou cercada por mais de 40 mil homens de Dom Miguel. O Cerco do Porto durou mais de um ano, tendo a cidade sofrido ataques, fome e doenças mas o Porto resistiu, acabando por romper o cerco e assegurando o triunfo do Liberalismo. Dom Pedro jamais esqueceria o sacrifício da sua cidade: a sua “Invicta”.​

Doou-lhe o seu coração e o lendário dragão do seu brasão tornou-se parte do símbolo da cidade.

Séc. XVIII – 1755

O Terramoto de 1755 – No século XVI uma terrível peste devastou o Porto. O povo rezou a São Roque e prometeu que caso ele acabasse com a peste, construiriam uma capela dedicada ao santo. A peste desapareceu e uma bela capela nasceu. Diz a lenda, que tinha sobre a porta a inscrição “antes que esta capela venha abaixo há de a formiga beber um dedal cheio de água e a tartaruga correr uma légua”. A 1 de Novembro de 1755 aconteceu o terramoto que devastou Lisboa, fez-se sentir no Porto, e a capela de São Roque desabou.

Terá a formiga bebido o dedal cheio de água e a Tartaruga corrido uma légua?

Séc. XVI

Pedro Cem – Pedro Cem era um dos mais ricos comerciantes do Porto. Cem, como o número de barcos que tinha. Afortunado, apenas lhe faltava alcançar o título de nobre. Para isso, convenceu um fidalgo a deixá-lo casar com a sua filha. Na manhã do seu casamento, enquanto os seus barcos chegavam carregados de mercadorias valiosas, de forma arrogante Pedro exclamou : “ agora, nem que Deus queira, deixarei de ser o homem mais poderoso da cidade!”. O castigo divino não tardou, e de imediato começou uma tempestade sobre Porto. Os cem barcos naufragaram e o seu palácio foi destruído. Nunca mais ninguém o voltou a ver, até que um dia, na cidade um mendigo começou a pedir.​

“Quem dá um tostão a Pedro Sem, que já tudo teve e agora nada tem?”

Séc. XV

As Tripas à Moda do Porto – ​Na idade Média, acreditava-se que o mundo acabava no horizonte, onde o céu tocava no oceano. Nessa zona, viviam criaturas e monstros que devoravam os marinheiros que de lá se aproximavam. Em 1394 nasceu o Infante Dom Henrique, responsável pela descoberta de novas rotas marítimas, que levaram ao desenvolvimento oceanográfico, alterando a concepção do mundo até então. Com o objectivo de conquistar Ceuta, em 1414, Dom Henrique preparou uma armada. No Porto, os barcos foram abastecidos com toda a carne disponível, sobrando apenas as tripas para o povo.

Reza a lenda, que foi assim que nasceu uma das mais famosas receitas da cidade como símbolo da generosidade do povo: “Tripas à moda do Porto”.

Séc. X

Miragaia – No século X o Rio Douro separava os mouros dos cristãos. Ramiro, o Rei Cristão, tinha o plano de atacar a fortaleza dos Mouros para resgatar a sua esposa, a Rainha Gaia, que fora raptada por Alboazar, o Emir Mouro. No regresso, depois de resgatar a Rainha Gaia, perguntou-lhe porque tanto chorava. Ela responde, enquanto mirava as ruínas do castelo de Alboazar, que tinha sido o local onde fora muito feliz. Ramiro, enfurecido disse-lhe: “Então mira, mira…Gaia, porque é a última coisa que irás mirar”! De seguida, matou-a.​

E assim nasceu o nome da freguesia de Miragaia, onde está situada a Alfândega do Porto e avista-se a cidade de Gaia, do outro lado do Douro.

Séc. I AC

Rio do Esquecimento – Há dois mil anos, acreditava-se que quem cruzasse o rio do esquecimento, perderia a memória. Algo que se suspeitava ter acontecido aos Túrdulos, povo guerreiro celtibérico. Séculos mais tarde, as legiões romanas de Decimus Brutus prosseguiram com a conquista do noroeste da Ibéria. Ao chegarem ao Rio do esquecimento ficaram petrificados pelo medo de perder a memória, como aconteceu com os Túrdulos. Quando o comandante cruzou o rio sozinho e chegou à margem oposta, chamou os seus homens pelo nome, um por um, provando-lhes que não tinha perdido a memória.​

Mais tarde, em 1983, foram encontradas inscrições Túrdulas com mais de 2000 anos na cidade de Gaia. Terão eles vivido no no esquecimento?

PORTO LEGENDS-UNDERGROUND EXPERIENCE

PORTO LEGENDS-UNDERGROUND EXPERIENCE | FEV. A ABRIL

PORTO LEGENDS-UNDERGROUND EXPERIENCE – Mais informação ver aqui

Morada:

Rua Nova da Alfândega 4050 - 430 Porto

Coordenadas GPS:

41°8'34.94"N
8°37'18.12"W
Mapa de Evento da Coolture

Criar Conta de Utilizador