TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS

Que pena, este evento já terminou! :(

SÍLVIA PEREZ CRUZ & FARSA CIRCUS BAND | CASA DA MÚSICA

SÍLVIA PEREZ CRUZ & FARSA CIRCUS BAND | CASA DA MÚSICA

Música & Festivais

Data
21/06/2020
21:00 | Domingo
Local

Casa da Música, Porto

Classificação Etária
M/06 anos
PUB

Descrição do Evento

SÍLVIA PEREZ CRUZ & FARSA CIRCUS BAND | CASA DA MÚSICA – Farsa (género imposible)
(Universal Music Spain, 2020)

Farsa é o novo disco de Sílvia Pérez Cruz. Nos seus trabalhos discográficos, Sílvia intercala discos de composições próprias com outros de recriação e interpretação, nos quais realiza versões de outros artistas.
Este é um disco que criou a partir de conversas com outras disciplinas artísticas como o teatro, o cinema, a dança, a poesia, a pintura ou o cinema de animação.

Gravado entre 2019 e 2020, Farsa (género impossível) responde à inquietação da artista em relação à dualidade do que se mostra e o que realmente somos, como sobrevive a fragilidade interior, do íntimo nestes tempos em que o superficial é tão arrasador que o que se vê se pode chegar a confundir com o que se escuta.

Para ilustrar esta procura e continuar a explorar estas inquietações criou FARSA CIRCUS BAND. Uma banda formada por grandiosos músicos da sua geração, com quem se reencontra depois de muitos anos e caminhos próprios de pesquisa e amor à música.

Ficha Técnica
Marco Mezquida: piano e teclados
Aleix Tobias: percussão
Mario Mas: guitarras
Bori Albero: contrabaixo
Carlos Montfort: violino
Engenheiro de Som: Juan António Casanovas
Engenheiro de Luz: Gabriel Paré

SÍLVIA PEREZ CRUZ & FARSA CIRCUS BAND | CASA DA MÚSICA

Silvia Pérez Cruz (Palafrugell, 15 de fevereiro de 1983) é uma cantora, compositora e atriz espanhola.

Filha dos músicos Càstor Pérez Diz e Glòria Cruz i Torrellas, desde bem jovem estudou solfejo, piano clássico, saxofone clássico, sendo mais tarde licenciada em canto-jazz pela Escola Superior de Música de Catalunya. Já como profissional, trabalhou com Joan Díaz Trio no disco de jazz We sing Bill Evans (prémio JAÇ 2009 de melhor disco), com Joan Monné, Perico Sambeat, Javier Colina, Jerry González, entre muitos outros.

Cantou pelos bailarinos Damián Muñoz (dança contemporânea), Israel Galván e a companhia de Sol Picó (flamenco contemporâneo, prêmios MAX 2007). Formou parte do grupo Llama (dueto de hang e voz), Coetus (orquestra de percussão ibérica) e Xalupa (música tradicional catalã), e fez um dueto com Raül Fernández (Refree), com diversos projetos e repertórios.

Em 2009 participou da peça de teatro El jardí dels cinc arbres, uma adaptação de textos do poeta Salvador Espriu, dirigida por Joan Ollé, e estreada no Festival Temporada Alta de Girona, sendo também representada no Teatro Nacional da Catalunha. Entre outras peças, cantou He mirat aquesta terra com música de Raimon. Com este poema musical, realizou uma interpretação, juntamente com Toti Soler, no ato de inauguração do Ano Espriu (Any Espriu), que celebrou o centenário do poeta, em 23 de janeiro de 2013, no palco do Palácio da Música Catalã em Barcelona.

Fez parte de grupos como Las Migas, Immigrasons, Coetus, e En La Imaginación. Em 2012, lança o seu primeiro disco solo, com o título “11 de novembre”, com temas em catalão, castelhano, português e galego, com letras em parte suas, em parte procendentes de versos de Feliu Formosa, María Cabrera e Maria-Mercè Marçal. Seu disco estreou em um concerto no Gran Teatro del Liceu de Barcelona, em 13 de abril de 2012.

Em 2012, participou juntamente com Juan Gómez “Chicuelo” no violão, da trilha sonora do filme espanhol Branca de Neve, obra do diretor Pablo Berger, performando inclusive em apresentações ao vivo das projeções do filme que se realizaram em setembro de 2012 em Barcelona e Madrid, com o nome de “Gran-concierto película Blancanieves”. O tema No te puedo encontrar ganhou o Prêmio Goya de 2012, na categoria “Melhor canção original”.

Em 2014, lançou o álbum “Granada”, junto ao produtor, guitarrista e compositor Raül Fernandez Miró “Raül Refree”. Em 11 de setembro de 2014, participou de um concerto com o pianista Júlio Resende, um dos principais nomes do jazz português contemporâneo, em Lisboa. Nele, interpretou canções em catalão, em castelhano, bem como da fadista Amália Rodrigues, cantando-os também na companhia de Gisela João.

Em 2015 faz sua estreia como atriz, participando do filme Cerca de tu casa de Eduard Cortés.[2] Um ano depois, em 2016, publicou as músicas escritas por ela para a trilha sonora deste filme em um álbum que recebeu o nome de “Domus”.

Recebeu o Prêmio Goya 2017 de melhor canção original pela canção “Ai, ai, ai”,[11] presente na película Cerca de tu casa, filme pelo qual também foi nomeada como melhor atriz revelação. Nesse mesmo ano, lançou o disco “Vestida de Nit”, com músicas de autoria próprias e versões de outras músicas, como Hallelujah de Leonard Cohen.

No Brasil, Silvia Pérez Cruz fez algumas apresentações com o músico bandolinista Hamilton de Holanda em seu show “Baile do Almeidinha” no Circo Voador-RJ e no Festival Canto da Primavera em Pirenópolis – GO onde gravou o vídeo clipe de “Lambada/Chorando se foi”. Em 2018, fez sua primeira apresentação solo no Brasil na Casa de Francisca – SP e cantou acompanhada de músicos brasileiros, entre eles Rafael dos Anjos, no Blue Note Rio, na ocasião a cantora se surpreendeu com o público que pedia por canções de seu repertório autoral. Nesse mesmo ano, fez participações especiais nos shows do uruguaio Jorge Drexler em turnê pelo Brasil.

Sábado, 6 de junho de 2020 às 21:00 – 22:15

SÍLVIA PEREZ CRUZ & FARSA CIRCUS BAND | CASA DA MÚSICA – Mais informação ver aqui

Informação Extra:

Autocarros, Bares, Comboios, Estacionamento, Metro, Restaurantes

Morada:

Av. da Boavista 604-610, 4149-071 Porto

Coordenadas GPS:

41°9'32.02"N
8°37'50.53"W
Mapa de Evento da Coolture

Criar Conta de Utilizador