TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS
A reacção imediata e entusiasta ao primeiro mês de Jazz no Ferroviário foram o voto de confiança para dar sequência ao ciclo iniciado no passado mês de outubro. A entrada é livre e continuará a ser nas tardes de domingo. Em novembro

DOMINGOS DE JAZZ NO FERROVIÁRIO CONTINUAM EM NOVEMBRO

A reacção imediata e entusiasta ao primeiro mês de Jazz no Ferroviário foram o voto de confiança para dar sequência ao ciclo iniciado no passado mês de outubro. A entrada é livre e continuará a ser nas tardes de domingo. Em novembro, o curador e músico João Lencastre convida o trio formado por Bruno Santos/Marta Garrett e Romeu Tristão (dia 4), o Edison Otero Colombian Jazz (11), o Lokomotiv do trio Barreto/Salgueiro/Delgado (18); no dia 25, o Quinteto Bernardo Moreira está “Entre Paredes”, ou seja com a música de Carlos Paredes. Que o jazz esteja também entre vós.

Bruno Santos/ Marta Garrett/ Romeu Tristão

Bruno Santos: guitarra
Marta Garrett: voz
Romeu Tristão: contrabaixo

Toco já há alguns anos com o Romeu, desde 2009 ou 2010, e apesar de nessa altura estar numa fase mais inicial e ser ainda muito novinho, percebi que tinha tudo para ser um craque em muito pouco tempo. Não me enganei e desde há uns anos para cá, tem sido o “meu” contrabaixista em vários projectos e contextos. Rigor e paixão são 2 de muitas qualidades do Romeu, conhecedor profundo da tradição jazzística.

A Marta apareceu mais ou menos na mesma altura. Conheci-a há uns anos, também por volta de 2009/10, como aluna de um curso de verão do CCB, para meninas e meninos mais pequeninos! Depois passou pela escola do Hot Clube e desde há uns anos é também uma presença regular nas jam sessions, onde fui assistindo à sua evolução galopante. Andou pelo mundo e está de volta. Muito talentosa desde pequenina, mas agora uma cantora de enorme consistência, com extremo bom gosto e conhecimento da linguagem. Classe na interpretação e elegância em palco, entre muitas outras coisas, fazem da Marta uma das minhas cantoras favoritas.

Dá-me muito gozo tocar com estes meninos, que apesar de quase 20 anos mais novos, são veteranos em cima de palco, com tudo de bom que a veterania representa. Fazemos música antiga, os denominados “standards” do cancioneiro norte-americano, tocados à maneira antiga, não em modo de cópia ou imitação, mas inspirados pelos mestres, com a particularidade de assumirmos uma formação não tão típica: voz, guitarra e contrabaixo, e montarmos os arranjos em sessões e ensaios para o efeito. Pela experiência das sessões regulares no Hot Clube, tenho a certeza que vamos deixar felizes as pessoas que nos ouvem. E sem ser preciso muito som. Baixinho…”

Horário: 18:00 às 20:00

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on print

Criar Conta de Utilizador