DAS FILARMÓNICAS DE BERLIM OU BREMEN PARA  O QUARTETO DE CORDAS DE MATOSINHOS

Partilhar notícia pelo Facebook Partilhar notícia pelo Twitter Partilhar notícia pelo LinkedIn Partilhar notícia pelo Google+ Partilhar notícia por email

DAS FILARMÓNICAS DE BERLIM OU BREMEN PARA O QUARTETO DE CORDAS DE MATOSINHOS
em 15.03.2019

No sábado dia 16 de março pelas 21:30, para concerto único e irrepetível em que atuarão com o Quarteto de Cordas de Matosinhos, vencedor do prémio Rising Star da Organização Europeia de Salas de Concerto em 2014, estarão um búlgaro, Szűcs Máté e primeira viola da Filarmónica de Berlim, e um húngaro, László Fenyö um dos violoncelistas da elite mundial desde que venceu o Concurso Pablo Casals e tem atuado com as mais diversas orquestras do mundo, de Bremen a Singapura.

Szűcs Máté

Integrado no programa Música de Matosinhos, o recital incluirá a interpretação do “Sexteto para cordas nº2, em Sol maior, op.36”, de Johannes Brahms, e do “Sexteto para cordas, em Lá maior, op.48”, de Antonín Dvorak – duas peças que, por si só, são consideradas obras-primas dos respetivos compositores.

László Fenyö

O “Sexteto para cordas nº2, op.36” é referido como uma das mais etéreas composições longas de Brahms, escrita entre o outono de 1864 e a primavera do ano seguinte, em Baden-Baden. Teve a sua estreia nos EUA, mais concretamente em Boston, no Massachusetts, a 11 de outubro de 1866, estando incluído na banda sonora do filme “Crimes a Sangue Frio”, de Bertrand Blier e com Gérard Depardieu no papel principal.

A peça de Antonín Dvorak foi escrita, no essencial, em maio de 1878 e foi a primeira obra do compositor a estrear fora da Boémia, mais concretamente em Berlim, a 9 de novembro de 1879. Inspirado na métrica tradicional húngara, o sexteto é reconhecido pela espontaneidade inventiva e pelo modo como contaminou a música erudita com sonoridades do folclore do centro da Europa e da música cigana.

Criado em 2007 por iniciativa da Câmara Municipal de Matosinhos, o Quarteto de Cordas de Matosinhos desenvolve um importante trabalho de preservação da herança musical portuguesa e europeia, e de estímulo à criação de novas obras. Atua regularmente nos principais palcos nacionais e europeus e é o fulcro da programação que regularmente leva a música erudita a igrejas, capelas e escolas do concelho.

Sábado, 16 de Março, 21:30 no Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery

Adicione o seu próprio

Comentário no Facebook

PUB


Ao continuar a utilizar este site, concorda com a Política de Privacidade

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close