TEATRO &
ARTE
MÚSICA &
FESTIVAIS
GASTRONOMIA
FAMÍLIA &
ENTRETENIMENTO
DESPORTO &
AVENTURA
TODOS OS
EVENTOS

O Cirque du Soleil foi ao Palácio da Ajuda

“Varekai”, espetáculo que em 2009 foi representado numa tenda de circo gigante à beira Tejo, pela companhia canadiana “Cirque du Soleil”, passou pelo Palácio Nacional da Ajuda, antes da próxima actuação no Meo Arena.

Num acontecimento pouco habitual, o Cirque du Soleil veio a Portugal sem o seu habitual aparato material e humano. De uma forma discreta, passaram por Lisboa, antes de trazerem a habitual ilha do circo canadiano e seus habitantes. Essa só chega esta semana para atuar na Meo Arena nos próximos dias.

Ícaro e a sua Prometida fizeram acrobacias nas salas que foram residência de D. Luís e D. Maria Pia, e captadas pela lente do fotógrafo Hugo Macedo.

De quinta-feira a 15 de janeiro, 50 artistas, de 19 nacionalidades, subirão ao palco da Meo Arena num espetáculo que nos leva à floresta de 300 árvores em que cai Ícaro – que antes vemos voar com as suas asas impressionantes – repleta de acrobatas, trapezistas, palhaços, sete músicos e dois cantores.

Como sempre acontece no Cirque du Soleil, tudo o que está em cena merece o olhar de quem assiste. Atente-se, por exemplo, aos figurinos, concebidos por Eiko Ishioka, a estilista e figurinista japonesa (1938-2012) que venceu um Óscar para Melhor Guarda-Roupa pelo Dracula (1992) de Francis Ford Coppola. Foram precisas 33 mil horas de trabalho para fazer aqueles mais de 600 figurinos, chapéus e outros acessórios; e 250 horas para a manutenção deles.

Quanto à escolha do Palácio da Ajuda para as fotografias, Julie diz: “É extraordinário. É um ícone de Lisboa, as pessoas reconhecem-no. Levámos algumas personagens de Varekai, como o Ícaro e a Prometida, que representam uma história de amor. Eles encontram-se e transformam-se, como o palácio fez ao longo do tempo.”

Fotos de Hugo Macedo  

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on print

Criar Conta de Utilizador