AUTO DE NATAL DA TRINDADE RETOMA TRADIÇÃO EM BEJA

Partilhar evento pelo Facebook Partilhar evento pelo Twitter Partilhar evento pelo LinkedIn Partilhar evento pelo Google+ Partilhar notícia por email

AUTO DE NATAL DA TRINDADE RETOMA TRADIÇÃO EM BEJA
em 08.01.2019

Auto de Natal da Trindade é uma manifestação cultural secular celebrada na aldeia de Trindade e que remete para uma tradição de teatros populares que em tempos pontuavam a paisagem rural alentejana. Por força e tenacidade de Mariana Lopes e de um grupo de familiares e amigos, a Trindade é o último reduto onde ainda se faz levantar a peça com base num documento, escrito a pena, com vários séculos de história do qual dona Mariana Lopes é guardiã.

Dia 12 de janeiro, na Rua de Santo Andrépelas 18h30, depois de 2 anos de interregno e dolorosas dúvidas sobre se teria o Auto da Trindade tido o seu fim, vai levantar-se o auto da Trindade numa ação conjunta da comunidade e a Câmara Municipal de Beja/Biblioteca Municipal de Beja/Centro Unesco para a Salvaguarda do PCI, a União de Freguesias de Albernoa e Trindade, a delegação da Cruz Vermelha de Beja e a companhia de teatro Baal17. Esta original manifestação é apoiada pelo Projeto 1234.REDES.

Neste dia, durante cerca de três horas serão apresentados ao público os principais momentos de uma peça que conta a história da criação do mundo e da vinda do “Salvador” através de uma narrativa que ultrapassa a descrição normativa da história dos doze dias. Este retomar de uma história de séculos centrada na Trindade será apenas o início. Pretende-se que este “ensaio assistido” ou apresentação resumida do longuíssimo auto, marque o início de um projeto de salvaguarda da manifestação que possibilite o seu estudo aprofundado, infelizmente ainda por realizar, e crie condições para que se possa levantar o Auto na sua totalidade convocando a comunidade da Trindade e de Beja para a sua representação no final de 2019.

É inegável o valor patrimonial do Auto de Natal da Trindade. Para além do valor histórico e da beleza e sabedoria dos versos que ali encontramos, foi fator de coesão de uma comunidade durante décadas. Hoje é uma viagem à memória e àquilo que nos diferencia, àquilo que resiste apesar de todas as crises, é a representação de uma cultura legítima, de elevado valor, que tem ainda lugar na contemporaneidade e deve ser reconhecida como tal. Dia 12 será representado parte de um texto único e, sobretudo, serão homenageados os seus portadores.

Adicione o seu próprio

Comentário no Facebook

PUB


Ao continuar a utilizar este site, concorda com a Política de Privacidade

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close